Revisor: o profissional invisível

Fala comum: “Nossa, que texto maravilhoso! A leitura flui… Este(a) autor(a) escreve muito bem!”.

Fala comum (2): “Nossa, que texto mal escrito! Tem até erros de português… Não teve revisão, não?”.

 

Tenso, né? (Reprodução/Google)

Tenso, né? (Imagem: reprodução/Google)

Quem quer atuar com revisão de textos precisa ter em mente uma coisa básica: seu trabalho será, muitas vezes, invisível. É o tipo de profissional que só aparece, ou seja, só é lembrado, quando o resultado final não é considerado bacana. Quando está bom, é como se mãos “invisíveis” tivessem passado por ali e/ou os méritos vão todos para os autores. Papel ingrato? Talvez. Mas é justamente esta a função de um bom revisor: não aparecer. Deixar o texto claro, coeso e coerente, sem erros ortográficos nem trechos confusos ou repetitivos, para que as ideias do autor possam ser bem compreendidas pelo leitor. Um trabalho por trás das “câmeras”. Acostumem-se a isso.

Invisível, sim; essencial, também!

O revisor é um profissional fundamental e precípuo na editoração de um livro. Todo texto precisa passar por revisão – por mais de uma, inclusive, como já foi comentando neste blog (“Produção editorial: quem faz o quê – Parte I” e “Parte II”). Mesmo que a qualidade da escrita do autor ou da autora seja excelente, sempre haverá, minimamente, errinhos de digitação, muito possivelmente também de ortografia e gramática, e frases e estruturas textuais necessitando de alterações. Algo normal, e nenhum autor deve sentir-se diminuído por isso. Ademais, outra pessoa lendo nosso texto é sempre bacana e nos dá uma segurança maior de que nada passará, não é mesmo? Em virtude de tudo isso, torna-se necessário que qualquer livro seja revisado por um profissional gabaritado para tal.

Um (bom) revisor deve ter algumas qualificações específicas, como em qualquer outra profissão. Eis algumas:

  • para início de conversa, as editoras costumam exigir profissionais graduados em Letras, Produção Editorial ou Jornalismo;
  • é preciso ter um ótimo domínio da língua portuguesa, ter boa noção das regras gramaticais e possuir bom texto. Não é necessário ser nenhum doutor em Linguística, mas ter um conhecimento apropriado é essencial. (Não basta achar, como escuto muito por aí – para meu desespero! –, que é só escrever no Word, já que o próprio programa “revisa” tudo, na medida em que sublinha erros e indica correções. Quem dera revisar fosse só isso ou simples assim…);
  • o revisor deve ser alguém cuidadoso e muito atento a cada detalhe, a cada palavra, a cada colocação pronominal, a cada regência e tempo verbal. Ah, e ser desconfiado por natureza: sabe aquela palavra que você acha que se escreve com “ss” mesmo? Melhor checar no dicionário, porque muitas vezes é assim que a gente descobre que é com “ç”, na verdade, e todo mundo costuma escrevê-la errado;
  • aliás, o melhor amigo do revisor é o dicionário – tenho um enorme sempre do lado;
  • ser organizado, pois para fazer a revisão de um livro, por exemplo, é necessário estabelecer formas e metodologias de trabalho, de modo que as emendas e comentários inseridos no arquivo ou na prova diagramada sejam os mais limpos e claros possíveis; para estabelecer padrões no texto (como escolher se “rainha do crime” será usado sempre aspeado, com as iniciais em maiúsculas ou sem nada) e mantê-los uniformes; para conseguir manejar bem o seu tempo, tendo em vista os prazos estabelecidos com a editora ou com o cliente;
  • ser flexível e um tanto quanto desapegado, pois o texto não é seu; ele é do autor, e, ao passo que se torna livro, passa a ser um pouquinho de muita gente, na verdade. Por isso, todos devem ter em mente que é um trabalho coletivo e que a palavra-chave deve ser “diálogo”. É fundamental ouvir o que cada um tem a dizer e respeitar o espaço do outro para que o seu seja respeitado também;
  • por fim, claro, quanto mais lemos, mais nos atualizamos. Parar de estudar, de ler e de aprender, jamais;
  • bônus: ser revisor é adquirir conhecimentos novos a cada dia, tanto sobre a língua portuguesa quanto sobre história, geografia, literatura medieval ou qual seja o tema do livro que você esteja revisando. 🙂

O revisor pode até ser um profissional “invisível”, mas em trabalhos de qualidade ele é, também, indispensável. Por isso, é importante que cada um procure sua contínua capacitação e qualificação, para que sejamos sempre valorizados no mercado – e, muitas vezes, precisamos pleitear, nós mesmos, por essa valorização profissional.

Boa revisão para vocês! Ser revisor é muito amor. ❤

 

SPOILER: No próximo post, alguns dos erros mais comuns em textos.

Anúncios

9 comentários

  1. Muito bom o texto prima!! É verdade, infelizmente talvez seja um profissional invisível para as pessoas que não sabem o que se passa por trás da produção de um livro….pq os revisores são profissionais essenciais e importantíssimos!!!
    Tenho certeza que você faz a diferença onde trabalha!
    Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Fofa! Obrigada! Mas são “invisíveis” até dentro do mercado editorial mesmo, muitas vezes. Por isso é importante falarmos sobre essa profissão e estimular que os próprios revisores façam-se reconhecer dentro de sua área de atuação.
      Beijinhos!

      Curtir

  2. Boa noite!

    Adorei o post, interesso-me pela área e postumamente pretendo tentar procurar oportunidades de trabalho na mesma.
    Sou estudante de Letras e pretendo ficar mais no mercado editorial do que em lecionar. Espero ter oportunidades.
    Ano que vem se Deus quiser começarei um curso técnico em Publicidade, o que acredito que ajudará também neste objetivo.
    Obrigada por esclarecer um pouquinho mais sobre esta função, visto que, estes profissionais como bem colocado por você na matéria, muita das vezes são invisíveis no mercado de trabalho.
    Terei os outros post’s. Muito sucesso pra você e sinta-se convidada a conhecer minha página, a Múltiplos Versos, no facebook.

    Forte abraço!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi, Tamires! Fico muito feliz com comentários como o seu. Meu intuito ao criar este blog foi justamente compartilhar minhas (ainda poucas) experiências. É bom saber que estou ajudando outras pessoas. Boa sorte pra você com o seu futuro editorial! Lidar com livros é gostoso. 🙂 E o curso em Publicidade poderá ajudar, sim… Como eu mencionei em um outro post meu mais antigo, quanto mais diversificada você for, mais chances terá dentro do mercado.
      Beijinhos, visitarei sua página, sim.

      Curtir

  3. Como estudante de Letras que tenta desbravar as áreas que o curso oferece agradeço mt pelo post. Tenho me interessado pelo mundo dos revisores e este tipo de publicação realmente tem me ajudado bastante. Muito grata. Continue.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s